O que estou fazendo comigo?

  • Onde foi que comecei a enrolar minha vida a ponto de perder o rumo?
  • Em que momento desisti de vencer minhas limitações?
  • Por onde andei por tanto tempo e, não fui capaz de me levar?
  • Em que parte da vida eu falei palavras bonitas esquecendo de agir?
  • Por que me sinto cansada apesar de ser tão nova?
  • Como posso seguir se já decretei parar?
  • Sonhos, esperança e motivação, alguém sabe onde moram?

Diz a sabedoria indígena que ,quando não cumprimos aquilo que prometemos, o fio de nossa ação que deveria estar concluído e amarrado em algum lugar, fica solto ao nosso lado. Com o passar do tempo, os fios soltos enrolam-se em nossos pés e impedem que caminhemos livremente… ficamos amarrados às nossas próprias palavras.

Por isso o nativo tem o costume de: “por-as-palavras-a-andar” o que significa agir de acordo com o que se fala.

Observe as palavras que você pronuncia. Elas são compromissos silenciosos que podem impedir o sucesso.

Existem palavras que decretam uma ação, um compromisso, uma meta e até um caminho. O perigo está em negar o que pronunciamos. Nós somos responsáveis pelas palavras encravadas que deixamos enferrujando no caminho.

Realizamos passos novos, sem sequer termos caminhado sobre o que já desejamos. É como se firmássemos um acordo com o fracasso, do tipo: eu desejo, eu sonho, eu expresso falando, mas ficarei nisso. Amanhã é um novo dia. Afinal dá muito trabalho por-as-palavras-a-andar.

Conheço pessoas que chamamos de conversadores. Eles anunciam projetos faraônicos e não movem um milímetro de esforço pessoal. Passado algum tempo, já estão alugando conhecidos com novos vôos estratosféricos. Certamente, chegará a hora em que tropeçarão no abismo de uma vida vazia. Tropeçarão na mentira de palavras consideradas inofensivas.

Confesso que eu já fui conversadora em várias fases da minha vida. Até que senti o peso de projetos engavetados. Caramba, é super cansativo carregar o que enterramos por negligência!

Hoje, na medida do possível, olho bem minha agenda de vida, falo depois de pensar, e afirmo o que desejo fazer, e já começo a agir. Constatei que a ação nunca é definida pelo tempo que eu desejo, e que o tempo é bem relativo. Costumo relaxar e caminhar de acordo com o movimento do meu querer e do querer da vida.

Jamais realizo tudo para ontem. Ao contrário, minhas gavetas de projetos estão todas escancaradas, flui delas um elixir mágico que me inspira a fazer-minhas-palavras-andarem. Alias, tenho inúmeras gavetas motivadoras. Algumas já fechei, pois, estão concluídas a contento e não por omissão.

Confesso que a vontade de deixar passar um projeto me fascina sim, pois a acomodação não é de todo ruim, não é? Ela tem lá suas vantagens.

Bem mas voltando à sabedoria indígena, aprendemos que o que ficou para trás pode voltar. Não é mais possível afirmar: O que passou, passou não volta mais!

Então, vamos responder as declarações que assinamos e firmamos conosco, isso conduz à integridade entre o pensar, o sentir e o agir. Certamente será um caminho inteligente que conduz há harmonia e prosperidade natural.

Boa sorte e vamos embora fazer-as-palavras-andarem!

 


Matéria por: Irlei Wiesel

  • Irlei Wiesel
    Irlei Wiesel
    Colunista
Irlei Wiesel
Colunista

1

Graduada em Pedagogia. Pós-graduada em Psicopedagogia.
Irlei Wiesel é Coaching Personal & Professional, Escritora, Conferencista, Empresária no segmento do Agronegócio e Educação Corporativa.
Graduada em Pedagogia. Pós-graduada em Psicopedagogia.

Atuou por 14 anos como Educadora do Ensino Fundamental. Nomeada para Casa Civil junto ao Palácio do Governo do Estado do RS para desenvolver projetos educacionais às prefeituras do estado.
Atuou por 6 anos na 8ª Delegacia de Ensino.
Psicoterapeuta com especialização em Hipnose, treinada pelos Drs Jeffrey Zeig e Stephen Gilligan.
Formada em Renascimento com o criador da Técnica o Americano Leonard Orr.
Master Practitioner em Programação Neurolingüística.
Practitioner em Terapia da Linha do Tempo.
Membro da Time Line Therapy com sede no Hawaii-USA.
Diretora do Grupo Wiesel, que possui empreendimentos nos segmentos da Saúde, Clinica de Auto-gestão, Educação Corporativa (treinamentos e palestras), Agronegócio.
Debatedora do Programa: Jogo de Cintura na Rádio Antena 1FM.
Participou por dois anos do programa de TV Conexão Saúde no canal 20 da Net, sempre abordando temas voltados ao desenvolvimento pessoal.
Articulista de diversos sites, revistas e jornais no Brasil.
Co-Autora do livro Você em Primeiro Lugar e do CD um Tempo para Vida.
Autora do livro Cure-se Antes que Você Adoeça – Editora Imprensa Livre.
Sua sólida formação no desenvolvimento humano embasa seu trabalho.
Realiza Palestras e Treinamentos com o foco voltado para liderança, competências emocionais, relacionamentos produtivos, gestão de pessoas, desenvolvimento de talentos, e educação.

Clique aqui para acessar todos os textos da colunista
E-mail
Fanpage


DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here