A prática da natação é algo muito saudável: trabalha a coordenação motora, estimula o apetite, fortalece o pulmão e o coração, entre outras vantagens. Porém como todo esporte, principalmente para os mais novos, é necessário o acompanhamento de responsáveis e de profissionais da área. Para ajudar nisso, listamos alguns cuidados que você deve ter com seus filhos antes de começarem a nadar.

“O afogamento é a causa principal de acidentes e mortes não intencionais em crianças”

A Associação Americana de Pediatria (AAP) alerta que ter aulas regulares de natação não protege do afogamento.  Segundo o órgão, as crianças não estão prontas para as aulas livres até que completem os quatro anos, uma vez que elas não conseguem, voluntariamente, prender sua respiração de forma considerável.

O afogamento é a causa principal de acidentes e mortes não intencionais em crianças. Enquanto milhões de bebês e crianças em idade pré-escolar participam de programas de natação, os pais devem, obrigatoriamente, ter a preocupação de que seu bebê ou criança está a salvo de afogamento enquanto pratica aulas de natação. Sempre que bebês e crianças pequenas estão na água ou perto dela, um adulto deve estar à distância de um braço, no máximo. Você pode ensinar seu bebê ou criança a amar a água. Mas esteja ciente de que seu filho precisa da presença de um adulto em todos os momentos, para evitar afogamento.

Confira algumas orientações adicionais da AAP sobre os cuidados com a relação criança- adulto-água:

– Nunca – nem por um momento – deixe crianças pequenas sozinhas ou sob os cuidados de outra criança, enquanto em banheiras, piscinas (mesmo as rasas), perto de valas de irrigação ou água parada. Cadeiras de banho não podem substituir a supervisão de um adulto.

– Esvazie baldes, banheiras e outros recipientes imediatamente após o uso.

– Crianças não devem ser deixadas sozinhas no banheiro.

– Supervisione as crianças quando estas estiverem na água. Com bebês e crianças, um adulto deve estar à distância de um braço. Com crianças mais velhas e nadadores pouco experientes, um adulto deve estar focado na criança e não deve distrair-se com outras atividades.

– Se você possuir uma piscina, instale uma cerca ao redor dela e que tenha pelo menos um metro e vinte de altura para limitar o acesso à mesma. Sistemas adicionais de proteção, tais como alarmes ou cobertura podem ser complementares, mas não substituem a cerca.

– As aulas de natação podem reduzir o risco de afogamento em crianças mais novas, mas como as crianças desenvolvem-se em ritmos diferentes, nem todas as crianças estarão prontas para nadar com a mesma idade.

– Os pais, cuidadores e proprietários de piscinas devem aprender técnicas de primeiros socorros.

– Não utilize acessórios infláveis para natação ao invés de coletes salva-vidas. Eles podem esvaziar e não foram projetados para manter seus usuários seguros.

– Todas as crianças devem usar um colete salva-vidas quando estiverem em um barco.

– Os pais devem saber a profundidade da água e quaisquer perigos subaquáticos antes de permitir que as crianças entrem pela primeira vez na água. Nunca permita o mergulho antes de certificar-se de todos perigos.

– Ao escolher nadar em ambiente aberto, não se esqueça do colete salva-vidas. Os nadadores devem também saber o que fazer em caso de existência de correnteza.

– Alerte os adolescentes sobre o aumento de risco de afogamento quando há ingestão de álcool.

Tomando os devidos cuidados, seja em aulas regulares ou simplesmente em atividades recreativas, a diversão estará garantida!

 

Fonte: Associação Americana de Pediatria

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here